24/08/10

Os 50 melhores clipes dos '90 segundo o Pitchfork


Vi lá no Pedro que o Pitchfork fez uma lista com os 50 melhores vídeos dos anos 90. Ultimamente ando lendo muita coisa sobre uma tal "ressurreição" do videoclipe em tempos onde nem a própria MTV já os passa mais. E "ressurreição" esta, na maioria das vezes, atribuída à tal da Lady Gaga. Coisa que eu acho de um total absurdo mas que não é relevante para a discussão em causa. Eu acho que a popularização do You Tube, do MySpace e outros sites de partilha de vídeo, os "culpados" pela tal morte do video dizem alguns, foram (e são) impulsionadores do formato e chegaram para somar. Houve sim uma mudança de hábito de quem consumia videoclipe, como é óbvio, mas não acredito que existiu de fato uma "morte". A internet deu maior democratização e projeção ao videoclipe, mesmo que sem o impacto que ele teve nas décadas anteriores mas com muito mais liberdade criativa e experimentação. E os clipes novos dos Yeasayer "Madder Red" ou o belíssimo "Cold War" da Janelle Monae estão aí para me dar razão.


Mas voltando à lista, acho que tem muita coisa boa por lá. E ela já começa despertando logo meu interesse com Man Size da grande PJ Harvey na 50ª posição. O genial Everything is Everything da Lauryn Hill, onde Deus é o dj e até faz uns scratches não podia nunca ficar de fora. E por falar em Deus, tem Closer dos Nine Inch Nails, clipe que me deixou muito perturbado na época quando saiu. E a referência à Deus mencionada, que eu nem me atrevo a traduzir, está logo no começo do seu refrão herético. Claro que toda lista é completamente arbitrária mas achei que faltaram algumas coisas importantes, como Smack My Bitch Up dos Prodigy e algum do Marilyn Manson, quando ele chutou o pau da barraca com o fabuloso Mechanical Animals. Deste disco, há vídeos memoráveis como os policiais se beijando em "Dope Show" ou recriando a morte de John Kennedy na lindíssima "Coma White".

Nos lugares cimeiros tinha de constar, obviamente, Björk. E botaram logo dois. Acho que depois de Michael Jackson (nos anos 80) e Madonna (cadê "Express Yourself" do David Fincher na lista? cadê "Bedtime Story"?) Björk foi a verdadeira revolução do videoclipe nos anos 90 levando-o à uma outra dimensão. Mas nem um dos que figuram na lista é o meu preferido. Eu daria o primeiríssimo lugar ao alucinante e poderoso Army of Me , dirigido pelo então desconhecido, Michel Gondry.

5 comentários:

Peter disse...

até parece que precisas de vir a mim, para saberes o que a Pitch faz!

:|

abraço.

ps: nem Gondry me faz ver um clip da Bjork. mulherzinha irritante.

Wellvis disse...

Pedro!

Respondendo ao "ps" concordo que a Björk hoje é uma "mulherzinha irritante" mas "post" "homogenic" e "vespertine" são discos brilhantes. E os clipes do "homogenic" são todos para ficar na história. abraço.

gonn1000 disse...

Tem algumas escolhas muito boas mas dispensava boa parte do hip-hop que anda por lá. E, entre outros, senti falta do "Be There", dos UNKLE (melhor do que "Rabbit in Your Headlights"), ou do "Push It", dos Garbage (mas pronto, não são uma banda hip). E sim, de Madonna, M. Manson ou Prodigy.

Wellvis disse...

Pois é, Gongalo. Também lembrei dos Garbage (mais especificamente de "I think I'm Paranoid" do que "Push It") e acho que o 1º lugar da lista, foi só para provocar.

um abraço

ps. tenho de ver os UNKLE, que desconheço.

Beatrix Kiddo disse...

ahh, the 90's :) the beautiful 90's. mas Bjork tb não gosto.